14 dezembro 2012

Bem-aventurados os Obreiros da Paz


Acaba de ser conhecida a Mensagem do Papa Bento XI para o Dia Mundial da Paz de 2013. Com o título em epígrafe, o Papa dirige-se às Igrejas e a todos os fieis, mas também às autoridades públicas dos vários países e supranacionais, bem como aos homens e mulheres de todo o mundo, convidando a uma atitude verdadeiramente comprometida com a construção da paz, entendida esta, não apenas como ausência de conflitos armados, mas como uma realização humana que acautele a justiça na repartição da riqueza e nas relações sociais, promova uma economia de desenvolvimento de todo o homem e do homem todo, bem como o empenho de todos na busca do bem comum.

Nesta mensagem não faltam advertências contra os riscos de uma mentalidade individualista e egoísta e contra as leis injustas que não defendem a vida humana, o direito ao trabalho com dignidade, a liberdade, a equidade na partilha dos bens, como sucede com um capitalismo financeiro desregrado.

Nas palavras de Bento XVI: O mundo actual, particularmente o mundo da política, necessita do apoio dum novo pensamento, duma nova síntese cultural, para superar tecnicismos e harmonizar as várias tendências políticas em ordem ao bem comum.

Ao recorrer à linguagem evangélica das bem-aventuranças, o Papa lembra que não se trata nem de um discurso moralista com recompensa prevista para a eternidade, a felicidade futura, nem de recorrer a uma vaga promessa de carácter onírico, mas antes afirmar que Deus está do lado daqueles que se comprometem com a verdade, a justiça e o amor. E estas são traves mestras de uma qualquer comunidade humana que deseja a paz e a quer construir sobre alicerces de sustentabilidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu