10 fevereiro 2016

"Prefiro a Misericórdia ao Sacrifício"

Na Quaresma de 2016 o Papa Francisco alerta para o «delírio de omnipotência» do ser humano que ignora quem sofre.  “Tal delírio pode assumir também formas sociais e políticas, como mostraram os totalitarismos do século XX e mostram hoje as ideologias do pensamento único e da tecnocracia que pretendem tornar Deus irrelevante e reduzir o homem a uma massa possível de instrumentalizar”.
A mensagem intitula-se «Prefiro a Misericórdia ao Sacrifício. As obras de misericórdia no caminho jubilar»  e denuncia as “estruturas de pecado” ligadas a um modelo de “falso desenvolvimento fundado na idolatria do dinheiro”.
Segundo o Papa, apenas o amor de Deus pode dar resposta à “sede de felicidade e amor” de cada um, algo que “o homem se ilude de poder conseguir mediante os ídolos do saber, do poder e do possuir”.
O Papa Francisco afirma a terminar:
"Portanto a Quaresma deste Ano Jubilar é um tempo favorável para todos poderem, finalmente, sair da própria alienação existencial, graças à escuta da Palavra e às obras de misericórdia."
A versão integral da mensagem em língua portuguesa pode ser encontrada aqui.

04 fevereiro 2016

V domingo do Tempo Comum

Touro - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano C".

- V domingo do Tempo Comum [ aqui ]
.

01 fevereiro 2016

Entender o presente para construir o futuro da era digital

Sem a conversão do desejo não há reforma possível. (Frei Bento)
É próprio do ser humano querer conhecer-se a si mesmo, desejar ter uma percepção adequada do mundo e do tempo em que vive, poder interagir com os outros e com a natureza, transformando-os e transformando-se, ao longo da sua vida. A educação, na sua essência, consiste em proporcionar conhecimento e disponibilizar instrumentos que habilitem o ser humano a bem realizar este seu tríplice objectivo. Em tempos de profunda e radical mudança, como aquele em que, presentemente, nos encontramos, é particularmente exigente dispor de ferramentas para saber perscrutar o futuro, ainda que tacteando por entre os sinais que se vão manifestando através das mutações em curso. (...)
City of Mériens - © Jacques Rougerie [»]
Como sempre sucede, em tempos de mudanças radicais, três atitudes são possíveis: a do conformismo e da presunção da inevitabilidade que conduz à passividade e à alienação; a dos profetas da desgraça, prontos a reconhecer e a denunciar os perigos e semear temores, rememorando, talvez, passados idealizados; o dos esperançosos que perscrutam e antecipam caminhos de um futuro melhor para o planeta, o universo e a humanidade e, individual e colectivamente, se empenham em o construir.
E nós, onde nos situamos? (...) 

28 janeiro 2016

IV domingo do Tempo Comum

Touro - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano C".

- IV domingo do Tempo Comum [ aqui ]
.

22 janeiro 2016

III domingo do Tempo Comum

Touro - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano C".

- III domingo do Tempo Comum [ aqui ]
.

16 janeiro 2016

«Crescer misericordiosos como o Pai»

MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO
para o JUBILEU DA MISERICÓRDIA DOS ADOLESCENTES 
(decorrerá de 23 a 25 de Abril e é dirigido à faixa etária dos 13 aos 16 anos)
.
Papa Francisco
Crescer misericordiosos como o Pai

Queridos adolescentes!
A Igreja está a viver o Ano Santo da Misericórdia, um tempo de graça, paz, conversão e alegria que abrange a todos: pequenos e grandes, próximos e afastados. Não há fronteiras nem distâncias que possam impedir à misericórdia do Pai de nos alcançar, tornando-se presente no meio de nós. A Porta Santa já está aberta em Roma e em todas as dioceses do mundo.
Este tempo precioso abrange também a vós, queridos adolescentes, pelo que me dirijo a vós para vos convidar a participar nele, a tornar-vos seus protagonistas descobrindo-vos filhos de Deus (cf. 1 Jo 3, 1). Gostaria de vos convidar um por um, gostaria de vos chamar pelo nome, como faz Jesus cada dia, porque – como bem sabeis – os vossos nomes estão escritos no Céu (Lc 10, 20), esculpidos no coração do Pai, que é o Coração Misericordioso donde nasce toda a reconciliação e toda a doçura.
O Jubileu é um ano inteiro no qual se diz santo cada momento, para que toda a nossa existência se torne santa. É uma ocasião para descobrirmos que viver como irmãos é uma grande festa, a mais bela que se pode sonhar, a festa sem fim que Jesus nos ensinou a cantar através do seu Espírito. Para a festa do Jubileu, Jesus convida mesmo a todos, sem fazer distinções nem excluir ninguém. Por isso, desejei viver também convosco alguns dias de oração e de festa. Assim espero-vos, em grande número, no próximo mês de Abril.
«Crescer misericordiosos como o Pai» é não só o título do vosso Jubileu, mas também a oração que fazemos por todos vós, recebendo-vos em nome de Jesus. Crescer misericordiosos significa aprender a ser corajosos no amor prático e desinteressado, significa tornar-se grande tanto no aspecto físico, como no íntimo de cada um. Estais a preparar-vos para vos tornardes cristãos capazes de escolhas e gestos corajosos, capazes de construir cada dia, mesmo nas pequenas coisas, um mundo de paz.
A vossa idade é um período de mudanças incríveis, em que tudo parece, ao mesmo tempo, possível e impossível. Com grande incitamento, vos repito: «Permanecei firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor. Aqui está o segredo do nosso caminho! Ele dá-nos a coragem de ir contra a corrente. Podeis crer: isto fortalece o coração, já que ir contra a corrente requer coragem e Ele dá-nos esta coragem! Com Ele, podemos fazer coisas grandes; Ele nos fará sentir a alegria de sermos seus discípulos, suas testemunhas. Apostai nos grandes ideais, nas coisas grandes. Nós, cristãos, não somos escolhidos pelo Senhor para coisas pequenas; ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jogai a vida por grandes ideais!» (Homilia no Dia dos Crismandos no Ano da Fé, 28 de Abril de 2013).
Não posso esquecer aqueles de vós, adolescentes, que viveis em contextos de guerra, pobreza extrema, transtorno diário, abandono. Não percais a esperança! O Senhor tem um grande sonho a realizar juntamente convosco. Os amigos da vossa idade, que vivem em condições menos dramáticas do que as vossas, lembram-se de vós e comprometem-se por que a paz e a justiça possam pertencer a todos. Não acrediteis nas palavras de ódio e terror que se repetem com frequência; pelo contrário, construí novas amizades. Oferecei o vosso tempo, preocupai-vos sempre por quem vos pede ajuda. Sede corajosos, contra a corrente; sede amigos de Jesus, que é o Príncipe da paz (cf. Is 9, 6): «tudo n’Ele fala de misericórdia. N’Ele, nada há que seja desprovido de compaixão» (Misericordiae Vultus, 8).
Sei que nem todos vós podereis vir a Roma, mas o Jubileu é verdadeiramente para todos e será celebrado também nas vossas Igrejas locais. Estais todos convidados para este momento de alegria! Não prepareis apenas as mochilas e os dísticos; preparai sobretudo o vosso coração e a vossa mente. Meditai bem nos desejos que confiareis a Jesus no sacramento da Reconciliação e na Eucaristia, que celebraremos juntos. Quando passardes pela Porta Santa, lembrai-vos de que vos comprometeis a tornar santa a vossa vida, a alimentar-vos do Evangelho e da Eucaristia, que são a Palavra e o Pão da vida, para poderdes construir um mundo mais justo e fraterno.
Que o Senhor abençoe cada um dos vossos passos para a Porta Santa. Sobre vós imploro o Espírito Santo, para que vos guie e ilumine. Que a Virgem Maria, que é Mãe de todos, seja para vós, para as vossas famílias e para todos aqueles que vos ajudam a crescer em bondade e graça, uma verdadeira Porta da Misericórdia.
Vaticano, na solenidade da Epifania do Senhor, 6 de Janeiro de 2016.
FRANCISCO
MENSAGEM DO PAPA FRANCISCO
para o JUBILEU DA MISERICÓRDIA DOS ADOLESCENTES 
(será celebrado de 23 a 25 de Abril e é dirigido à faixa etária dos 13 aos 16 anos de idade)
 Fonte: iMissio

15 janeiro 2016