05 janeiro 2018

Cuidar da Casa Comum
- A Igreja ao serviço da ecologia integral

Cuidar da Casa Comum é uma iniciativa de uma Rede de instituições, organizações, obras, movimentos da igreja católica e de outras igrejas cristãs, bem como pessoas a título individual.
Propõe-se:
  • Aprofundar e difundir a encíclica Laudato Si’ sobre o cuidado da casa comum, nomeadamente no âmbito das respectivas instituições, organizações, obras e movimentos.
  • Acompanhar, no espaço eclesial, as questões ecológicas de âmbito nacional e mundial, evidenciando as suas causas e consequências e equacionando-as à luz da encíclica Laudato Si’, de modo a promover a tomada de consciência colectiva acerca da sua relevância e urgência.
  • Promover nas comunidades cristãs e nos respectivos espaços (paróquias, escolas, obras e movimentos) uma efectiva conversão ecológica e sugerir caminhos de actuação concreta com vista a uma ecologia integral.
  • Proporcionar instrumentos de análise que permitam pensar o futuro do Planeta e da sociedade global de que somos parte.
  • Aprofundar e difundir a teologia da Criação.
  • Incentivar a celebração em comum do Dia da Criação.
Para melhor conhecimento visite casacomum.pt
A Fundação Betânia está na origem desta iniciativa, é um dos membros fundadores da Rede e integra a Comissão Executiva.

01 janeiro 2018

Ao encontro da essência do ser humano

Os momentos de crise, de mudança, de transformação não só das relações sociais, mas antes de tudo da pessoa e da sua identidade mais profunda, reclamam, inevitavelmente, a reflexão sobre a interioridade, sobre a essência íntima do ser humano.- Papa Francisco
.
Papa Francisco
Mais tarde ou mais cedo todos somos confrontados com perguntas de abismo sem fundo. Porque é que há algo e não nada? Qual é o sentido da minha vida, da existência de tudo? Qual é o fundamento último do que há? O seu sentido último?
É com estas palavras que Anselmo Borges começa a apresentação do seu livro intitulado Francisco. Desafios à Igreja e ao Mundo, recentemente publicado pela editora Gradiva. Escolho-as para início deste meu primeiro escrito de um novo ano e deixo um convite à leitura deste livro.
É oportuno relembrar e dar centralidade às perguntas que, sendo de sempre, porque constitutivas do ser humano, ganham relevância em momentos especiais, que levam a marca dos começos: uma nova relação, um novo trabalho, uma nova morada, etc. O começo de um novo ano civil pode bem ser um bom pretexto para um momento de interioridade, aberto à escuta do nosso interior e às suas perguntas essenciais.
Dizer que 2018 é apenas o virar de página de um calendário é subestimar o valor do simbólico, esquecer ou abafar o convite que o começo de um novo ano nos faz a que revisitemos o sentido profundo de existirmos, incluindo, porque inseparável do nosso existir, a sua dimensão relacional com as coisas, os outros, o planeta, a transcendência nos seus muitos nomes. (...)

01 dezembro 2017

Laudato Si’ – um apelo a uma nova civilização

A encíclica Laudato Si’ é, talvez, o primeiro ato de um apelo a uma nova civilização. - Edgar Morin
.
Change The World Changing Yourself 
Só quem aceita - ou escolhe - passar pela vida em permanente condição sub-humana de sonambulismo e indiferença perante o que acontece à sua volta e no mundo, não dá conta dos múltiplos desafios ecológicos, económicos, sociais e de sobrevivência como espécie com que a Humanidade está confrontada neste primeiro quartel do século XXI; uma situação com tendência a que os mesmos venham a ampliar-se, muito perigosamente, no espaço de uma geração apenas.
Neste mundo em que interagem e, por essa via, se amplificam processos de profundas alterações (demografia, tecnologia, globalização, clima, biodiversidade, desertificação, calamidades e disrupções várias no modo de produzir e de conviver, etc.) e se multiplicam as suas inegáveis consequências negativas para a vida do Planeta e de quantos o habitam, incluindo o sentido da própria vida, pode a Humanidade ter esperança no futuro e aspirar a uma civilização de bem-viver, de sabedoria partilhada, de convivialidade e de paz, de ecologia integral?
(...)
[ Texto integral
Imagem: 1001 Life Hack Tips To Change The World – It Starts With Changing Yourself 
- Andrew Martin. 2015 | onenesspublishing |

28 novembro 2017

Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Paz 2018

Foi dada a conhecer, no passado dia 13 Novembro, a Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial da Paz que ocorre no dia 1 Janeiro 2018. Tem por tema Migrantes e refugiados: homens e mulheres em busca de paz.
A Mensagem faz-se eco de uma justa preocupação com o fluxo crescente de migrantes e refugiados.
Nas palavras do Papa Francisco: São homens e mulheres, crianças, jovens e idosos que procuram um lugar onde viver em paz, como bem sintetizou o Papa Bento XVI. São pessoas que fogem de conflitos armados, de destruição massiva, de calamidades provocadas por desastres ambientais.
Migrantes e refugiados são pessoas que batem à nossa porta pedindo auxílio e que merecem encontrar a devida atenção que há-de traduzir-se em acolher, promover, proteger, integrar, segundo as possibilidades de cada País.
Francisco adverte para o risco de incompreensão e fechamento face às necessidades de acolhimento e hospitalidade: Em muitos países de destino, generalizou-se largamente uma retórica que enfatiza os riscos para a segurança nacional ou o peso do acolhimento dos recém-chegados, desprezando assim a dignidade humana que se deve reconhecer a todos, enquanto filhos e filhas de Deus. Quem fomenta o medo contra os migrantes, talvez com fins políticos, em vez de construir a paz, semeia violência, discriminação racial e xenofobia, que são fonte de grande preocupação para quantos têm a peito a tutela de todos os seres humanos.
(…)
Aos governos nacionais cabe o dever de promover uma correcta informação e uma gestão prudente destes fenómenos estreitamente correlacionados com a prossecução de uma paz autêntica e duradoura.
No plano mundial, a Mensagem ressalta a importância de que venham a ser aprovados em 2018, em sede das Nações Unidas, dois Pactos: um para promover migrações seguras, ordenadas e regulares; outro referido aos refugiados. Há porém que ter em conta que tais pactos internacionais poderão ficar letra morta se não forem acompanhados de um olhar contemplativo que leve a interiorizar na nossa consciência colectiva que todos pertencemos a uma só família, migrantes e populações locais que os recebem, e todos têm o mesmo direito de usufruir dos bens da terra, cujo destino é universal,
O belíssimo texto desta Mensagem bem merece ser lido e meditado, nomeadamente no seio das diferentes comunidades eclesiais, bem como ser amplamente divulgado e debatido nos media e, sobretudo, tornar-se guia de atitudes, comportamentos e acções que conduzam à boa convivência universal e à paz.

23 novembro 2017

Jesus Cristo Rei do Universo

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- Jesus Cristo Rei do Universo [ aqui ]

13 novembro 2017

XXXIII Domingo do Tempo Comum

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- XXXIII Domingo do Tempo Comum [ aqui ]