21 setembro 2017

XXV Domingo do Tempo Comum

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- XXV Domingo do Tempo Comum [ aqui ]

14 setembro 2017

XXIV Domingo do Tempo Comum

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- XXIV Domingo do Tempo Comum [ aqui ]

07 setembro 2017

XXIII Domingo do Tempo Comum

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- XXIII Domingo do Tempo Comum [ aqui ]

01 setembro 2017

Quem quer a verdade tem de entrar na água

Há uma tendência muito perigosa de aceitar tudo o que se diz, tudo o que se lê, de aceitar sem colocar em discussão. E, ao contrário, só quem está pronto a pôr em discussão, a pensar autonomamente, encontrará a verdade. Para conhecer as correntes do rio, quem quer a verdade tem de entrar na água. - Nisargadatta Maharaj
As recentes calamidades, que nos têm tão duramente atingido nos últimos meses, deixaram, nas pessoas e na nossa sociedade em geral, compreensivas marcas de tristeza, raiva e desânimo, que vêm somar-se ao desconforto de nos sabermos fazendo parte de uma mudança radical em curso no plano tecnológico, antropológico e geo-estratégico, de contornos indefinidos, com consequências imprevisíveis e, aparentemente, fora da nossa capacidade de agir no imediato.
Refiro-me às perdas em vidas humanas, animais e bens materiais irrecuperáveis, devido ao fogo que, durante todo o verão, lavrou em boa parte do território nacional. Tão pouco podemos esquecer que a própria natureza sai ferida por causa destas calamidades: espécies animais e vegetais dizimadas, paisagens que ficarão enegrecidas por muito tempo, antes que a sua regeneração possa acontecer, fumos que se espalharam e contaminaram o ar e a água, espaços habitacionais que ficaram em ruínas…
Lembro também a tragédia ocorrida na Madeira por queda de uma árvore de grande porte e as mortes ocorridas em pleno dia que amanhecera para ser de celebração e festa.
Mais recentemente fomos surpreendidos por um brutal atentado terrorista de grandes dimensões, perpetrado no País vizinho e ficamos a saber que actos de violência análogos estavam em preparação para serem levados a cabo em distintos locais.
Às vítimas deixo uma palavra de solidariedade e compaixão, que brota da minha convicção profunda de que nós, os humanos, somos seres de relação e cada pessoa é, na sua singularidade, parte indissociável de um Nós (os outros humanos, as demais criaturas, o cosmos).
A quantos se empenharam em prestar socorro e minimizar os estragos dirijo o meu reconhecimento e louvor. A sua generosidade e empenho em bem servir a comunidade merecem ser lembrados e enaltecidos como testemunho de vida dada ao serviço da Vida.
E agora? (...)

XXII Domingo do Tempo Comum

Homem - Arcabas
No Site da Fundação Betânia está disponível o texto de Luciano Manicardi, extraído de "Reflexões sobre as Leituras - Ano A".

- XXII Domingo do Tempo Comum [ aqui ]

Mensagem conjunta de Papa Francisco e do Patriarca Ecuménico Bartolomeu - 2017

Estamos convencidos de que não poderá haver uma solução genuína e duradoura para o desafio da crise ecológica e das mudanças climáticas, sem uma resposta concertada e coletiva, sem uma responsabilidade compartilhada e capaz de prestar contas do seu agir, sem dar prioridade à solidariedade e ao serviço.

Termina com estas palavras a Mensagem conjunta de Papa Francisco e do Patriarca Ecuménico Bartolomeu para o Dia Mundial de oração pelo cuidado com a Criação, que hoje se celebra.

O texto na íntegra encontra-se aqui.

29 agosto 2017

Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

Foi em Agosto de 2015 que o Papa Francisco, em sintonia com a encíclica Laudato Si’, que tinha publicado três meses antes, toma a iniciativa de se juntar à Igreja ortodoxa para, em uníssono, promover um dia mundial de oração pelo cuidado da Criação, fixando a data de 1 de Setembro.
 
Lembremos o fundamento: Como cristãos queremos oferecer a nossa contribuição à superação da crise ecológica que a humanidade está a viver. Por isto devemos, antes de tudo, procurar no nosso rico património espiritual as motivações que alimentam a paixão pelo cuidado da criação, recordando sempre os que crêem em Jesus Cristo, Verbo de Deus que se fez homem por nós.

Temos múltiplas razões para correspondermos, com fé e generosidade, a este apelo. Com efeito, conhecemos as manifestações da grave crise ecológica em que nos encontramos, reconhecemos a complexidade das suas causas e experimentamos a impotência para as superar ou atenuar os seus efeitos.

Sem subestimar o imperativo de nos empenharmos na luta persistente por uma ecologia exterior, temos, cada vez mais, a consciência de que carecemos, a nível pessoal e institucional, de uma conversão radical, no sentido de uma ecologia interior baseada no respeito por toda a Criação e de motivações que alimentam a paixão pelo cuidado da criação.
 
Recordo as palavras do Papa Francisco na carta que acompanha a instituição deste dia mundial de oração ao afirmar que precisamos de uma conversão ecológica, que comporta deixar emergir, nas relações com o mundo que nos rodeia, todas as consequências do encontro com Jesus. De facto, «viver a vocação de guardiões da obra de Deus não é algo de opcional nem um aspecto secundário da experiência cristã, mas parte essencial duma existência virtuosa.  Anualmente, o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação oferecerá a cada fiel e às comunidades a preciosa oportunidade para renovar a adesão pessoal à própria vocação de guardião da criação, elevando a Deus o agradecimento pela obra maravilhosa que Ele confiou ao nosso cuidado, invocando a sua ajuda para a protecção da criação e a sua misericórdia pelos pecados cometidos contra o mundo em que vivemos. A celebração deste Dia, na mesma data, com a Igreja Ortodoxa, será uma ocasião profícua para testemunhar a nossa crescente comunhão com os irmãos ortodoxos. Vivemos num tempo em que todos os cristãos enfrentam idênticos e importantes desafios, diante dos quais, para ser mais críveis e eficazes, devemos dar respostas comuns. Por isto, é meu desejo que este Dia também possa envolver, de alguma forma, outras Igrejas e Comunidades eclesiais, e ser celebrado em sintonia com as iniciativas que o Conselho Mundial de Igrejas promove sobre este tema.
 
A Fundação Betânia convida os leitores/leitoras do Ouvido do Vento a corresponder a este convite e a fazer do próximo dia 1de Setembro um dia de oração pelo cuidado da Criação.