15 abril 2013

DEPOIS DAS PROVAS, EIS A SALVAÇÃO
Génesis, capítulo 45

(...)

vv. 5 Deus enviou-me aqui antes de vós para conservação da vossa vida. As palavras de José exprimem o pensamento do autor que reinterpreta a história a partir de uma chave teológica. Isto dá aos acontecimentos uma luz completamente nova. Na verdade, os protagonistas não são já os irmãos, mas o próprio Deus, é Ele o verdadeiro autor de toda a história, actuando com um  propósito bem preciso de salvação. José vê a sua vivência pessoal sobre o fundo de uma misteriosa realização de um desígnio salvífico de Deus.

(...)

A história humana não se desenvolve ao acaso,  tem uma direcção e um sentido, aquele que é querido por  Deus.

Isso não significa que o homem não aja em plena liberdade, livremente. A evolução da história com os erros da criatura está aí para o demonstrar. 

O encontro de duas liberdades, a de Deus e a da criatura está velado por um mistério que só na fé pode ser aceite.

(...)

vv. 24 Não briguem durante a viagem. A preferência de José por Benjamin poderia ainda provocar a inveja de seus irmãos, e José acha bem lembrar-lhes que, assim como ele perdoou a todos eles, assim eles devem perdoar uns aos outros.
vv. 25-28  A Jacob custa acreditar no que lhe é dito, mas depois cede às evidências e alegra-se.

O autor estrutura a narrativa de modo a que se veja que as obras de Deus só são reconhecidas depois de terem acontecido e não enquanto acontecem.

(...)
 
 
Nicoletta Crosti,
DEPOIS DAS PROVAS, EIS A SALVAÇÃO
Génesis, capítulo 45

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu