01 maio 2011

Ser Feliz:
aspiração e tarefa de sempre

Feliz de quem atravessa a vida inteira,
tendo mil razões para viver.
- Dom Hélder Câmara



Instalou-se na sociedade portuguesa uma onda de pessimismo e de desesperança face ao futuro que, como um tsunami, atravessa as diferentes gerações, territórios e estratos sociais. Vive-se, hoje, numa atmosfera depressiva que está omnipresente nas conversas entre amigos e é o eco, mais ou menos remoto, do que se passa nos vários ambientes de trabalho, nos media, nas redes sociais, nas escolhas dos nossos quotidianos.

(...)

As crises não têm apenas efeitos negativos e perniciosos; servem também para nos obrigarem a repensar as razões das nossas escolhas de felicidade e dos traçados das rotas que elegemos para a alcançar.

(...)

Colocar a felicidade e o seu corolário de vida boa, no centro das nossas agendas pessoais e políticas, contribuirá para enfrentar a presente crise, de forma mais sadia não confinando o debate em torno dos pacotes de mero equilíbrio financeiro e permitirá encontrar razões de viver e novos estilos de vida mais gratificantes e sustentáveis.

Para os cristãos e suas comunidades, estes tempos de crise são boas oportunidades para repensarmos onde firmamos os alicerces da nossa felicidade. No Sermão da Montanha, Jesus apontou caminhos: Falou do desprendimento, da paz, da simplicidade, do empenhamento na construção da justiça, na importância do serviço dos outros, no Amor como lei universal na relação entre as pessoas e fundamento da organização da vida em comum. E sempre foi dizendo: assim como Eu fiz, fazei-o vós também.

Imagem: Multiple Paper Cranes Against Sky Backdrop - © Nugene Chiang

1 comentário:

  1. A busca da felicidade deve ser uma preocupação dos responsáveis pela economia e a organização da sociedade. Consulte este vídeo:
    http://joaomongeferreira.blogspot.com/2011/05/o-que-e-felicidade-interna-bruta-fib.html

    ResponderEliminar

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu