16 janeiro 2011

Isaac torna-se pai de dois gémeos - Esaú e Jacoob
Génesis 25, 19-34

No site da Fundação Betânia foi publicado este estudo sobre o Génesis, no âmbito do Projecto Ler a Bíblia, coordenado por Nicoletta Crosti. Estes estudos podem ser comentados no Ouvido do Vento.

Na história dos patriarcas, Isaac tem pouca relevância, é uma pessoa a quem falta uma vincada personalidade própria. É apresentado segundo o modelo do pai e apenas uma figura de ligação entre os dois grandes patriarcas: Abraão e Jacob.

(...)

Esaú perdeu tudo quanto lhe pertencia legitimamente, a primogenitura, porque não lhe percebeu o valor. Pelo contrário, Jacob, com outra sensibilidade, compreendeu o seu valor, e é isto que o autor quer enfatizar. Porém, a forma como Jacob se comporta, ao aproveitar-se de um momento de fragilidade do seu irmão, deixa-nos perplexos.

Jacob torna-se assim herdeiro da promessa de Abraão. O autor vê em tudo isto um plano do Senhor que, antes do nascimento dos dois gémeos, já tinha previsto que o maior haveria de servir o menor. A história da salvação insinua-se através das facetas dos comportamentos humanos, frequentemente não lineares e contraditórias. O autor insiste em querer mostrar que o plano da salvação se desenvolve pelo puro dom de Deus e não pelo mérito das personagens, que são, de vários modos, miseráveis. O autor não se escandaliza pela miséria dos homens, pelo contrário mostra que

Deus serve-se de todos para levar avante os seus planos, demonstrando, assim, o seu poder que vence também com meios que podem parecer inadequados.

- Nicoletta Crosti,
Isaac torna-se pai de dois gémeos - Esaú e Jacoob
- Génesis 25, 19-34
[ Versão integral ]

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu