15 janeiro 2008

Petites avancées

O texto do Manuel António fez-me lembrar o editorial da última Info Cotmec (Comissão para o terceiro mundo da Igreja Católica na Suiça). Intitula-se "Petites avancées" e no fundo reproduz passagens de um correio de Natal enviado por Laetitia, uma amiga africana. Escreve Laetitia: "A criminalidade e o banditismo, os bloqueios das instituições, os desvios dos bens públicos, a alta de preços dos géneros de primeira necessidade tornaram-se o nosso pão quotidiano. Parece que a crise que atravessa o nosso país não tem fim". E acrescenta o editorialista, dir-se-ia que se poderia esperar de seguida uma palavra de desânimo e um baixar de braços. Contudo, a sua correspondente acrescenta: Não se pode, porém negar que existem alguns pequenos avanços: ouve-se menos o tiroteio das armas de fogo; as pessoas circulam mais ou menos livremente em todo o país. O que não sucedia há algum tempo." E, um pouco mais adiante, acrescenta:"Num futuro próximo, o nosso país vai conhecer a paz e a prosperidade".
É esta atitude esperançosa que eu gostaria de assinalar. É que, à força de nos habituarmos a uma crítica negativa sistemática, como vem acontecendo entre nós, embotamos o olhar e já não damos conta das "petites avancées" que podem trazer alegria ao quotidiano e gerar sinergias para novos avanços no sentido de um projecto colectivo de uma sociedade mais próspera e solidária.
Conclusão: queixemo-nos menos dos nossos pequenos males, saudemos os passos positivos que vão sendo dados e empenhemo-nos mais em resolver as dificuldades do quotidiano e em construir as melhorias que estiverem ao nosso alcance.
Manuela Silva

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu