01 julho 2013

Ser Quem Sou ao Ritmo da Vida

No seu último livro (Te llevo en mis entrañas dibujada, Narcea, 2013), Emma Ocaña reproduz um conto que tinha por protagonista um ancião eremita conhecido pela sua santidade. Vivia pobremente daquilo que lhe davam, mas, não obstante, era vítima de maus-tratos por parte de um malfeitor que, regularmente, o visitava para o roubar. O ancião não denunciava o ladrão e respondia com bondade a quem o maltratava. A autoridade do lugar, posta ao corrente da situação, dirigiu-se ao ancião e interpelou-o para que este tomasse uma atitude mais firme em sua própria defesa, gritando, denunciando o criminoso, pedindo socorro… O ancião ouviu os seus interlocutores com infinita paciência e por fim respondeu: não posso fazer senão aquilo que faço. Devolvo amor porque é amor que tenho dentro de mim, não posso forçar a minha natureza. 

Tal como o ancião, as nossas atitudes e comportamentos exteriores expressam aquilo que interiormente somos. Daí, o grande desafio com que cada ser humano está confrontado ao longo de toda a sua vida: o de se ir construindo interiormente como ser único e irrepetível. A este propósito, Clarisse Lispector pode dizer: nós somos o que queremos ser.

(...) 

Rushah - refugiada síria
Quem desejo ser é, assim, uma interrogação que acompanha toda a existência verdadeiramente humana e à qual devemos prestar uma atenção vigilante e crítica, sob pena de ficarmos aquém da nossa própria humanidade, que o mesmo é dizer, de não nos realizarmos como pessoas.

(...)

A presente crise sistémica em que mergulhou o mundo ocidental e para onde vai arrastando outros povos, constitui uma ameaça de retrocesso civilizacional com incidência na construção de um ser humano com consciência de si, da sua liberdade de ser e de agir, um ser dotado de liberdade e portador de correspondente responsabilidade pelo cuidado de si, dos outros, das instituições, da cultura e da civilização a que pertence.

(...)

Para os discípulos e discípulas de Jesus, as férias devem permitir também que redobremos a nossa atenção aos sinais dos tempos, se fortaleça o nosso empenho pessoal na construção do reino de Deus, cresça o nosso zelo pela justiça, a verdade, a solidariedade com os mais frágeis, o amor fraterno, o cuidado, a paz.

 Votos de boas férias!

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu