01 julho 2010

Tempo para Viver

Conserto a palavra com todos os sentidos em silêncio
Restauro-a
Dou-lhe um som para que ela fale por dentro
ilumino-a
.
Daniel Faria

(...)

Chegadas as férias, pode porém suceder, e muitas vezes assim é, que levemos para esses dias a mesma agitação, as mesmas dependências das convenções sociais, que enchamos esses dias com o fazer das mil e uma pequenas coisas que fomos adiando. Em suma, pode acontecer que, afinal, por hábito ou automatismo, por dependência do olhar e juízo dos outros ou das modas, acabemos por não sermos capazes de ser donos e donas deste tempo de férias.

Se assim for, regressaremos ao trabalho presos com as mesmas correntes e dependentes das mesmas alienações e continuaremos a alimentar a engrenagem de um uso do tempo que não deixa viver e por isso é gerador de mal-estar individual e de múltiplas disfuncionalidades sociais. Talvez com o olhar posto na expectativa de novas férias…

(...)

[ Texto integral ]

Imagem: Dancing in the Air - Suzzanne Duncan. 2009

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu