01 maio 2017

Prolongar a alegria pascal

Papa Francisco
Deixemos que o espanto alegre do Domingo de Páscoa irradie nos pensamentos, nos olhares, nas atitudes, nos gestos e nas palavras. (Papa Francisco, 2017)
.
Uma das pobrezas do nosso tempo é o défice de atenção que dedicamos à duração das coisas, dos acontecimentos, dos sentimentos, dos aniversários, dos encontros, etc. Passamos, sem transição, de uma situação a outra, sem que tenhamos, sequer, recolhido os frutos da primeira, seja no caso do sofrimento seja da alegria. Corremos, assim, o grande risco de ver grassar uma apatia generalizada, uma indiferença doentia, uma alienação redutora face à Vida. Ao invés, a liturgia cristã constitui um bom antídoto para este mal social, na medida em que privilegia o tempo longo das celebrações, o antes e o depois.
A alegria pascal, por exemplo, permeia toda a liturgia durante cinquenta dias a seguir à Páscoa, convidando os cristãos a viver nos seus quotidianos a alegria que decorre da fé no Ressuscitado e no seguimento do seu testemunho. Lembram-se acontecimentos passados, mas, sobretudo, procura-se iluminar os desafios do presente com o fogo novo do Espírito, sempre actuante na vida de cada pessoa e da sociedade.
Como prolongar a alegria da Páscoa, se temos, hoje, muitas razões para temer o presente e o futuro próximo? (...)
.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu