05 maio 2016

Espiritualidade política?

À primeira vista pode parecer desconcertante associar estas duas palavras: espiritualidade e política. Contudo, ao fazê-lo, pretendemos levar mais fundo a percepção acerca dos conceitos de espiritualidade e de política, condição fundamental para progredir no processo infindável de integração do corpo e do espírito, da consciência e do agir, do nosso interior e do contexto externo em que se inscreve a nossa existência.
Todo ser humano é portador de espiritualidade. Ser espiritual não é privilégio de uma categoria de pessoas e, o que é importante, espiritualidade não se opõe a matéria, a corpo, como se costuma pensar, mas opõe-se à morte.
(...)
Espiritualidade é também caminho de encontro com o Espírito, que é origem de toda a vida.(...)
Espiritualidade é busca existencial pela verdade, busca humana por um ponto de referência absoluto no próprio espírito, a partir do qual se passa a julgar tudo o que está ao redor. A busca da verdade será a sabedoria da morte, pois uma vez estabelecido o ponto absoluto, a partir desse ponto tudo se relativiza.
(...)
A liberdade cristã é combinação de despojamento e ousadia, experiência paradoxal só possível ao humano pelo Espírito se Deus que o habita.
Por uma espiritualidade política é o tema da próxima iniciativa da Fundação Betânia: um curso de fim de semana (14 - 15 Maio) orientado por Emma Ocaña, teóloga e psicoterapeuta. Ver aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu