01 dezembro 2015

Um Humanismo compassivo

...«intelligence amoureuse»… Tel est le défi de l'ère planétaire, que je reçois comme une vocation passionnante et de longue haleine, et que nous ne pourrons relever qu'en essayant de penser et agir ensemble.
(Julia Kristeva - "Souffrir", in " Cet incroyable besoin de croire", Bayard, 2007).

Os recentes atentados em Paris, pelo número de vítimas inocentes que fizeram, pela violência empregue, pela frieza com que agiram os agressores e a força da organização que deixaram subentender, vieram acrescentar visibilidade à onda de barbárie que, desde há anos, vem alastrando à escala mundial, multiplicando os focos de conflito e de guerra em vários lugares do mundo e com fundamentos diversos (a grande pobreza e a fome, os negócios do tráfico da droga, das armas e de pessoas, a corrupção aos vários níveis, o extremismo ideológico e religioso).
A nossa Humanidade está doente e apresenta feridas extensas com raízes profundas. (...)
Video:  As flores e as velas são para nos proteger. le Petit Journal Novembro 2015 – [»]

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu