14 novembro 2015

Coração firme e sem ódio

Foi este o apelo feito pelo cardeal André Vingt-Trois, depois de exprimir compaixão pelas vítimas e repúdio pelos atentados que ontem ocorreram em Paris.
 
Diante do horror e da barbárie dos actos terroristas de ontem, não podemos ficar indiferentes ou resignados e por isso expressamos revolta e dor pelo sucedido: compaixão pelas vítimas e suas famílias e amigos; um olhar reprovador, mas sem ódio, face às pessoas que praticaram estes crimes hediondos; crescente perplexidade pela gravidade das ameaças à paz que esta barbárie indicia.
 
No plano pessoal, há que reagir com redobrada vigilância e lucidez na análise do sucedido, ultrapassar medos  e explicações superficiais que, nestas ocasiões, facilmente se propagam, e exigir de quem nos governa a nível europeu estratégias, políticas e meios de prevenção e combate contra o terrorismo organizado que atenta contra a vida de pessoas indefesas e pretende derrubar os valores da civilização ocidental e das suas instituições.
 
O que aconteceu ontem em Paris não pode ser visto como acto isolado. Pelo valor simbólico de que se revestiu, o número de vítimas que provocou, o planeamento e organização que supõe, temos motivos para pensar que estamos perante uma guerra de grandes proporções  e por isso precisamos de um coração sem ódio, mas firme e pronto para lutar pela paz e pela salvaguarda dos valores civilizacionais que, como povo de matriz cultural cristã, desejamos preservar.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu