16 julho 2012

Uma História de Irmãos - Génesis, capítulo 37


Os autores do livro do Génesis sentiram a necessidade de reunir as tradições dos patriarcas, sem datação histórica, com o acontecimento histórico do Êxodo, o evento fundante da história de  Israel em meados do século XIII a.C. Por isso utilizaram uma tradição antiga para uma história à parte, que situava Jacob  e os seus filhos no Egipto. A narrativa segue o modelo do típico motivo de uma “história de irmãos”, própria da literatura do Médio Oriente Antigo. Trata-se de uma história completamente laica. Deus parece ausente, mas as personagens são crentes. O protagonista é José, uma figura ideal com muitas qualidades, forte e equilibrado. É o inocente que sofre e que sabe reconhecer a acção de Deus através dos acontecimentos. A tradição patrística vê em José a figura de Cristo, vendido por Judá e tornado o salvador dos irmãos. 

Toda a história de José é o reconhecimento de uma providência de Deus, sempre presente, que age ainda que através do mal realizado pelos homens. Por isso a história humana leva sempre consigo um gérmen de salvação e de renascimento. 
.
(...)
Nicoletta Crosti,
UMA HISTÓRIA DE IRMÃOS
Génesis, capítulo 37
Versão integral ]

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu