28 julho 2010


Na grande escuta abre o mundo
o silêncio e abre um sítio
onde só reina o estudo
aberto ao reino do espírito.
E com Deus aberto ao fundo
de estarem ali ouvindo.
(F. Echevarria)

Nestes dias, que ou são ou se anunciam tempo de férias, não é de mais lembrar a escuta como postura de vida, com seus tempos fortes de aprendizagem, aprofundamento e exercício prático.
A escuta não é passividade: é atenção, vigilância, abertura, acolhimento, contemplação.
A escuta supõe o desejo de ir para além da poeira dos dias e do corre-corre do quotidiano em busca do sentido da existência.
A escuta prepara e antecipa uma relação harmoniosa, responsável e solidária, com os outros e com o mundo em que vivemos.
Com votos de bons tempos de férias.

Sem comentários:

Enviar um comentário

A publicação de comentários está sujeita a moderação.
Maria do Céu